segunda-feira, 30 de março de 2009

Opportunity

Sabe, há dias em que parece que o universo inteiro quer te dizer algo. Ou pelo menos, de repente, é você quem passa a prestar a atenção a certas mensagens que sempre estiveram aí, mas só agora se tornaram úteis. Ou as duas possibilidades e mais alguma que você, amigo ou amiga do blog, venha a pensar.

Estou lendo Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres, de Clarice Lispector, e ontem li o seguinte trecho:

"Não posso ter uma vida mesquinha, porque ela não combina com o absoluto da morte"


Essa é a conclusão da personagem Lóri, depois de uma longa reflexão sobre vida e morte, na qual a última é vista como uma passagem para uma forma mais plena de existir, digamos assim. Dito isso, viver seria a espera e a preparação para a morte que, para a personagem, era desejável, não para escapar do mundo, mas por ser "como os primeiros calores frescos de uma nova estação".

Isso por si já me deu uma vontade enorme de viver e de fugir da mediocridade de apenas sobreviver. Então, agora há pouco, estava vendo o clipe da música Opportunity, do Pete Murray, e resolvi ver a tradução da letra, pois sempre achei a música muito lindinha (adoro músicas onde os instrumentos de cordas aparecem muito!), mas não fazia idéia do que dizia. E a mensagem, advinhem! Vou resumir com uma frase da letra:

"Life is short but you're here to flower"
(A vida é curta mas você está aqui para florescer)

Ou seja, mais vontade de viver ainda.

Confesso que em outros dias, até acharia bobinha a letra de Opportunity, mas no momento que estou vivendo, não é que veio a calhar?

É Deus, (ou o universo, ou o que quer que seja) me dizendo:
"Hold on now your exits here
It's waiting just for you
Don't pause too long
It's fading now
It's ending all too soon you'll see"

Ok, ok, me convenceu.