O poema no seio da vida

Um poema está adormecido
no seio da terra
nos seios da amada
no seio da vida

Veio o sol
veio a chuva
veio a lua
e seu cortejo de estrelas

Veio a neve
veio a seca
vieram as flores
os animais
as pessoas

Só o poema não veio
Permanece
No seio da vida
À espera do poeta

Comentários

  1. Quero só ver do que vc vai dizer de suas andanças em SaMPa...

    ResponderExcluir
  2. Ah, que poema preguiçoso! hahah

    beeeijos :*

    ResponderExcluir
  3. Queroo só ver o que vc vai falar sobre suas andanças em Sampa, 2
    haha. CAAAAARLOS só pra te avisar que eu achei meu diário! HAHAHA
    e acho que ngm leu ein!
    bjus adoro você, curte muito em Sampa, por mim ta? =[
    :*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Deita no meu peito

A arte do encontro

Retorno (mais um)