quinta-feira, 1 de julho de 2010

O poema no seio da vida

Um poema está adormecido
no seio da terra
nos seios da amada
no seio da vida

Veio o sol
veio a chuva
veio a lua
e seu cortejo de estrelas

Veio a neve
veio a seca
vieram as flores
os animais
as pessoas

Só o poema não veio
Permanece
No seio da vida
À espera do poeta